Artigo original

Subsistema dos funcionários públicos “não pode deixar de cobrar” aos privados os 38 milhões de euros de regularização de faturas, afirma Marta Temida.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.