Artigo original

 

A empresa Boeing anunciou esta quarta-feira que não irá entregar aviões ao Irão.

A Boeing tem um contrato para o fabrico e entrega de 80 aeronaves que foi firmado durante a vigência do acordo internacional sobre o programa nuclear persa, que em 2015 levou ao levantamento das sanções até então impostas a Teerão.

Segundo a CNBC o negócio valia cerca de 20 mil milhões de dólares, cerca de 17 mil milhões de euros, e envolvia duas companhias aéreas do Irão, a Iran Air e a Aseman Airlines.

Contudo, a recente decisão de Donald Trump em abandonar esse acordo à revelia dos aliados dos EUA ditou a retomada das sanções aplicadas a qualquer empresa que negoceie com o regime da República Islâmica.

As grandes empresas de fabrico de aeronaves foram das primeiras a aproveitar o período de abertura com o regime do Irão ao longo dos últimos dois anos, sendo das que, no setor privado, mais têm a perder com a saída dos EUA do tratado nuclear.

Para além do negócio da Boeing, a Airbus também já tinha em marcha a venda de 100 aviões ao Irão. Ainda não se sabe se esse negócio vai avançar.

[Notícia atualizada às 16h34]

Irão. Quatro perguntas (e respostas) sobre o acordo rasgado por Trump

Irão. Quatro perguntas (e respostas) sobre o acordo rasgado por Trump

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.