Artigo original

 

Conrad Murray disse que Joe Jackson, que morreu no passado dia 27 de junho, castrou quimicamente o filho para que este mantivesse “a sua voz aguda”. As declarações estão a gerar polémica.

O médico de Michael Jackson, condenado pelo homicídio involuntário do cantor, que morreu em junho de 2009, garantiu que o artista foi “castrado quimicamente” por Joe Jackson, a quem chamou de “um dos piores pais da história”.

“A crueldade expressada por Michael sobre o que viveu nas mãos do pai, o mau tratamento de que foi alvo e o fato de ter sido castrado quimicamente para manter a sua voz aguda é algo indescritível”, declarou Murray ao jornal “The Blast”.

Já no livro “This Is It! The Secret Lives of Dr. Conrad Murray and Michael Jackson”, lançado em 2016, o médico escreve que o Rei da Pop foi obrigado a tomar hormonas desde aos 12 anos, quando integrava os Jackson 5.

Recorde-se que Murray cumpriu dois anos de prisão por administrar uma dose letal de propofol ao artista.

TEXTO: Ana Filipe Silveira

 

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.