Artigo original

Segundo o Ministério da Administração, estes factos “não são toleráveis numa força de segurança num Estado de Direito democrático”. “Não quero acreditar que tenha havido agressões”, afirmou o presidente da Associação Nacional de Sargentos da GNR.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.