Artigo original

O alerta é de Geert Cappelaere, da UNICEF, que acrescenta que “a situação se tornou desastrosa”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.