Artigo original

“Nos últimos sete anos, as crianças da Síria nasceram, praticamente, na frente de batalha”, diz à Renascença a porta-voz da UNICEF para o Médio Oriente. Além das vítimas entre civis, cada vez mais crianças e jovens são usados como combatentes.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.