Artigo original

Numa carta ao primeiro-ministro, o histórico socialista reafirma o apoio à atual “solução governativa”, mas confessa sentir a “liberdade pessoal ameaçada”.

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.