Artigo original

 

O Bloco BE avisou o Governo que não pode ir além dos compromissos assumidos com Bruxelas e terá de inscrever, até sexta-feira, no Programa de Estabilidade, a meta de 1% de défice para 2018 acordada no Orçamento.

O presidente do PSD, Rui Rio, diz “já estava à espera” que, “à medida que se aproximam as eleições”, acontecessem “tensões entre o Bloco de Esquerda, PS e, provavelmente, PCP”, mas admitiu que não lhe “agrada” uma eventual crise.

Rui Rio, que respondia, esta quarta-feira, em Santa Maria da Feira, à margem do Congresso da Confederação Empresarial de Portugal (CIP), a uma questão sobre o Programa de Estabilidade, referiu que uma eventual crise política não lhe agrada porque “não agrada a Portugal e, portanto, não agrada ao líder da oposição”.

O líder do PSD não se mostrou, contudo, surpreso com possíveis tensões entre os partidos que formam a atual maioria paramentar.

“Essas tensões entre o Bloco de Esquerda, o PS e, provavelmente, o PCP, é algo que já estava à espera há muito tempo. Não vejo com grande admiração que à medida que nos aproximamos das eleições, eles tenham mais dificuldade em conseguir a estabilidade que até à data conseguiram”, disse o líder dos sociais-democratas.

Também confrontada com a questão, a presidente do CDS-PP, Assunção Cristas, entende que tanto bloquistas como comunistas fazem “muito barulho”, mas acabam por aprovar os documentos estruturantes da governação, como o Programa de Estabilidade (PE).

“O CDS levará [o PE a votos] para que todos tenham as suas posições clarificadas e todos assumam as suas responsabilidades. O PCP e o BE podem fazer muito barulho, mas são eles que suportam este Governo e são, por isso, corresponsáveis com as políticas e com as opções deste Governo”, defendeu Assunção Cristas, à margem de um encontro com a Associação Portuguesa de Parkinson.

“Na ‘prova dos nove’, votam todos em conjunto. Por isso é que as esquerdas encostadas ora encostam, ora desencostam, mas quando é para aprovar o Programa de Estabilidade e Orçamento do Estado, que são os documentos estruturantes da governação, estão todos e estão todos bem unidos”, sustentou.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.