Artigo original

 

O internacional português, que representa o Inter Movistar, falou sobre os dois candidatos à Bola de Ouro de futebol.

O internacional português Ricardinho, eleito, por quatro vezes, o melhor jogador de futsal do mundo, refere ter parecenças futebolísticas com Lionel Messi, mas noutros aspectos, identifica-se com Cristiano Ronaldo.

“Sou pequeno como Messi, esquerdino como Messi e toco a bola como Messi, o que me dizem é que me pareço muito mais com o Messi quando jogo, mas não o prefiro. O Cristiano também tem muito talento”, referiu o jogador português, em entrevista à agência AFP.

Ricardinho foi eleito melhor jogador do mundo em 2010, 2014, 2015 e 2016 e abordou quais as semelhanças que encontra com Cristiano Ronaldo, que pode vencer a Bola de Ouro pela quinta vez, na quinta-feira.

“O que vejo é que eu e o Cristiano deixámos a casa muito cedo. Precisámos de ir passo a passo, sabendo que a nossa altura chegaria, sem nunca desistir. Neste aspecto, identifico-me muito com o Cristiano. Quis ser o melhor, marcar golos e trabalhou como ninguém, é também como me vejo”, afirmou Ricardinho.

O jogador de 32 anos, que representa, desde 2013, os espanhóis do Inter Movistar, tendo já conquistado dois títulos europeus (UEFA Futsal Cup), relembrou ter feito testes de captação no FC Porto, em futebol de 11, tendo acabado por ser preterido.

“O treinador mudou e foi-me dito que era muito pequeno para jogar futebol, insisti e acabei no futsal, a que me adaptei lindamente, porque gostava de ter a bola mais vezes. Tive um treinador que me disse: ‘podes ser o melhor’”, recordou o jogador.

Esse cenário acabaria por se verificar, acabando por levar à comparação, em cenários distintos, com Ronaldo, mas o jogador lembrou também o português Madjer, que já foi eleito o melhor jogador do mundo de futebol de praia.

“O que me deixa orgulhoso é que num país tão pequeno tenhamos os melhores, no futebol, no futsal, no futebol de praia. Não é só uma questão de talento, também requer compromisso. Para mim, para o Cristiano, para o Madjer [futebol de praia], para o Figo, para o Eusébio, é uma questão de personalidade, carácter, saber como aprender e ter a coragem de dizer ‘eu quero ser o melhor'”, rematou Ricardinho.

 

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.