Artigo original
Eddie Redmayne. Fotografia: Reuters


O ator Eddie Redmayne, que desempenhou o papel de Stephen Hawking no filme sobre a vida do físico britânico falecido esta quarta-feira, considerou que o cientista foi o homem mais divertido que conheceu.

“Perdemos uma mente verdadeiramente bela, um cientista extraordinário e o homem mais divertido que tive o prazer de conhecer”, disse Eddie Redmayne, que ganhou em 2015 um Óscar pelo seu papel no filme “A Teoria de Tudo”, sobre a carreira e vida académica de Stephen Hawking.

O ator britânico desempenhou o papel do génio matemático, mostrando as décadas de degeneração física por causa da doença — Esclerose Lateral Amiotrófica (ELA) — que foi diagnosticada ao cientista aos 21 anos, sempre sob o olhar atento de Hawking.

Redmayne disse, na altura, que Hawking queria viver a vida ao máximo e que sempre teve um brilho nos olhos.

Stephen Hawking foi um dos cientistas com maior destaque desde o físico alemão Albert Einstein. A sua obra “Uma Breve História do Tempo” é um dos livros mais vendidos no mundo.

Apesar de sofrer de ELA desde os 21 anos, Hawking surpreendeu os médicos ao viver mais de 50 anos com esta doença fatal, caracterizada pela degeneração dos neurónios motores, as células do sistema nervoso central que controlam os movimentos voluntários dos músculos.

Em 1985, uma grave pneumonia deixou-o a respirar por um tubo, forçando-o, desde então, a comunicar através de um sintetizador de voz eletrónico.

Mas Hawking continuou a desenvolver as suas pesquisas na área da ciência, a aparecer na televisão e casou-se pela segunda vez.

A combinação entre a sua obra e o facto de permanecer quase totalmente incapacitado – no final podia apenas contrair alguns músculos da cara – fez com que se tornasse um dos cientistas mais conhecidos do mundo.

TEXTO: Lusa

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.