Artigo original

O Supremo Tribunal espanhol baixou para cinco anos e 10 meses a pena a que Iñaki Urdangarin tinha sido condenado e impôs uma condenação por peculato, invasão, fraude à administração e crimes fiscais que obrigam a cumprir pena de cadeia. A redução da pena acordada pelo Supremo deve-se à absolvição do cunhado do rei de Espanha do crime de falsificação de documento público cometido por funcionário, uma vez que o seu envolvimento não ficou provado. A sentença implica a entrada na prisão de Urdangarin, que só poderia ser evitada se a Audiência de Palmam, que o tinha condenado a seis […]

DEIXE UM COMENTÁRIO

Por favor escreva algo no seu comentário.
Por favor insira o seu nome aqui.